Em 24 / 02 / 2012

Caminho perigoso

O Brasil é, AINDA, um país livre de fundamentalismos de qualquer espécie, notadamente o religioso. Os nossos quase 200 milhões de brasileiros professam as mais variadas formas de crenças religiosas sem qualquer conflito. Aqui, neste país abençoado por Deus, respeitamos, AINDA, o direito de cada um ter a crença religiosa que mais lhe satisfaça espiritualmente.

Da mesma forma não abominamos os que nenhuma crença têm. E não poderia ser diferente, afinal vivemos num país democrático. Aqui, o estado de direito baliza e regula a vida de seu povo. O sincretismo religioso, tão intensamente vivido no nosso dia a dia não se sobrepõe e nem se impõe, felizmente, AINDA, a laicidade que emana do preceito constitucional pátrio. E graças a Deus que assim seja, pois se assim não fosse, a hipótese contrária, um Estado religioso, causa-nos angústia e calafrios.

Quem tiver olhos para ver e ouvidos para ouvir que preste atenção ao que ocorre no Oriente Médio e em vários países da Ásia e da África. Nós não queremos isso para o nosso País. O brasileiro é um povo alegre, brejeiro, irreverente e despido da chaga do preconceito. Consequência do divino cruzamento de raças que compõem nossa etnia.   É inimaginável, repito, ver este povo maravilhoso e incomum conviver com “caça às bruxas” de qualquer natureza. A clara, nítida e rigorosa separação entre religião e Estado, com absoluta insubmissão constitucional a comportamento ou credos religiosos, é garantia suficiente para que isso nunca venha ocorrer em nosso país.

Faço minhas preces todos os dias. Vou à minha igreja todas as semanas. Louvo o meu Deus como quero e bem entendo. Professo meu credo religioso livremente. Esse é um direito meu. Graças a Deus posso fazer isso. Graças a Deus o país em que vivo é um exemplo de democracia política, racial e religiosa sem paralelo no planeta. Aqui professamos as mais diversas religiões, respeitando-nos uns aos outros e respeitando da mesma forma os irmãos brasileiros que não têm qualquer crença e nem professam nenhuma religião. Agradeço a Deus viver num país assim. AINDA!

Daniel Tourinho